quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Índios Tremembé de Queimadas iniciam implantação do Projeto Mandala

Um grupo de indígenas agroecológicos da aldeia Queimadas, em Acaraú, iniciou a preparação do terreno para a construção da horta Mandala. A implantação do projeto se deu a partir da parceria entre a Secretaria de Agricultura de Acaraú, a Ematerce, a Secretaria do Desenvolvimento Agrário – SDA (que financia o projeto) e o grupo de índios Tremembé que se interessou pelo Projeto Mandala.
As Mandalas são estruturas circulares de produção de alimentos formadas por círculos concêntricos que têm no centro um pequeno espelho de água, de onde parte o sistema de irrigação. Galinhas, patos, peixes dentre outras espécies de pequenos animais e uma diversidade de plantas dispostas estrategicamente convivem em uma área comum, formando assim um sistema interativo onde as necessidades de um são supridas pela produção do outro. Por exemplo, a galinha oferece esterco e aração para a plantação e se alimenta de ervas daninhas. Hastes de cotonetes de ouvidos dão forma à micro-aspersores e gotejadores adaptados pela criatividade (02 da figura abaixo à direita), bem como garrafas plásticas vazias de refrigerantes são transformados em instrumentos de irrigação no espaço Mandala (Texto: Agência Mandala).
Modelo de uma mandala implantada
Imagem da internet

A implantação do projeto seguiu algumas etapas que se iniciaram em julho deste ano. Inicialmente alguns representantes indígenas foram visitar uma mandala em operação na localidade de Lagoa Dantas. Os indígenas Evaldo e Paulo tiveram a oportunidade de conversar com um produtor sobre todo o processo de implantação da horta (construção do tanque, anéis, produção de composto orgânico, etc.). Como o grupo já possui experiência no cultivo de hortaliças e frutas na aldeia, não tiveram dificuldade em entender o processo.
Paulo,  Evaldo  e o Secretário Nacélio Cruz conversam com o Sr. Istevaldo que construiu o reservatório (Maio de 2011)
Visita aos canteiros
Posteriormente, técnicos da Ematerce e o Secretário de Agricultura Nacélio Cruz, foram até a aldeia Queimadas para vistoriar o terreno onde será construída a horta Mandala.
A terceira etapa consiste na documentação do Conselho Indígena e a abertura da conta para recebimento dos recursos para a compra dos equipamentos e a construção do tanque-reservatório.
Sr. Anastácio (gerente do escritório da Ematerce em Acaraú) visita a área onde será implantada a Mandala(Julho de 2011)
A documentação se refere aos dados de quatro famílias beneficiadas pelo projeto, ata e estatuto da associação (no caso dos Tremembé, o Conselho Indígena) e o número da conta bancária. Uma das vantagens do projeto é que o recurso cai diretamente na conta das associações, permitindo maior autonomia dos produtores.
Segundo Evaldo Tremembé, apesar do projeto estipular um número de quatro famílias beneficiadas, em Queimadas serão mais de dez famílias envolvidas. Vale lembrar que a Mandala vem ampliar a produção de hortaliças e frutas que desde o ano passado vem sendo produzida pelos indígenas. 
Finalmente, agora em dezembro, o grupo de indígenas iniciou a limpeza e a preparação do terreno. O grupo está bastante motivado e ainda segundo Evaldo, a mandala dos índios será a maior da região.
Com mais esse projeto, os Tremembé de Queimadas reiteram a opção por um modelo agroecológico de produção, pautado pela sustentabilidade econômica, social e ambiental, como também pelo solidariedade e o cooperativismo.
Parabéns a essa gente boa e trabalhadora!