quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

FUNAI publica Relatório de Identificação e Delimitação da Terra Indígena Tremembé de Queimadas

Boas notícias para os Tremembé de Queimadas!

Foi publicado em 29 de dezembro de 2011 o resumo do Relatório Circunstanciado de Identificação e Delimitação da TI Queimadas. Após quase dois anos da realização do Grupo de Trabalho(março de 2010) a FUNAI e o MJ dão mais um passo conclusão do processo demarcatório da terra indígena.
A partir do levantamento etnohistórico, ambiental, cultural e fundiário, os componentes do GT, coordenado pela Antropóloga Marlinda Patrício, puderam chegar a uma proposta referente aos limites da Terra Indígena de Queimadas. Segundo consta no resumo publicado no Diário Oficial da União, o perímetro da TI corresponde à aproximadamente 767 hectares.
Segue abaixo, alguns fragmentos do relatório referentes à proposta de delimitação da área da TI e em seguida o mapa produzido pela FUNAI/MJ. 

No item em que se tratou das fases da ocupação viu-se que o território atual, cronologicamente foi se definindo de diferentes formas. Desde a chegada das sete famílias em 1927 e nas décadas que se seguiram, a légua de terra que afirmavam ser o território de uso foi sofrendo alterações.A reconfiguração do território está descrita em cada fase de ocupação apresentado no item (b) da primeira parte deste Relatório. Os diálogos mencionam os limites que supunham ser os limites da légua de terra, visto que não fizeram aferição com instrumentos próprios para tal, contudo, utilizaram informações, como Serrote do Cafundó, que fica perto do Córrego do Amargoso, Lagoa do Amargoso, Lagoa Encantada, Córrego do Maitá, cacimba quadrada e povoados -Jumento Assado, Pedrinha, Aroeira, Gameleira e estrada velha que leva até Fortaleza.[...] Como resultado do estudo chegou-se a conclusão de 767 hectares e 16 km de perímetro aproximadamente (Relatório de Identificação e Delimitação da TI Tremembé de Queimadas, 2010).


Fonte: DPT/Funai, DOU, 29/12/2011.