sábado, 30 de março de 2013

Índios Tremembé buscam Sebrae para qualificar artesanato.




Objetivo da tribo é melhorar a produção artesanal da comunidade sem perder a identidade cultural
Ana Lúcia Machado
Fortaleza - Nos séculos XVI e XVII, eles ocuparam uma extensa região do litoral brasileiro, que ia do Ceará até o estado do Pará. Hoje, os índios Tremembé – que em Tupi significa água boa para a saúde ou lugar encharcado – estão fixados, principalmente, nos municípios de Itarema, Acaraú e Itapipoca, a cerca de cem quilômetros de Fortaleza. Eles lutam, agora, para manter o que lhes sobrou da cultura ancestral de forma sustentável, preservando a identidade indígena. Essa foi uma das razões que levou o Conselho dos Índios Tremembé do Córrego das Telhas, do município de Acaraú, onde a aldeia de mesmo nome fica situada, a procurar o Escritório Regional do Sebrae na cidade de Itapipoca.


Criado com o objetivo de promover melhorias sociais, econômicas, políticas e culturais na comunidade Tremembé do Córrego das Telhas, o Conselho tem a missão de defender os direitos dos índios, apoiando a autonomia cultural, econômica e social do povo Tremembé. A articulação com o Sebrae é fruto de um trabalho de Assessoria Técnica que vem sendo realizado desde 2009. Em 2010, os técnicos Tiago Silva, pedagogo, e Ronaldo Santiago, antropólogo, por meio de um Diagnóstico Rural Participativo (DRP), observaram o potencial da comunidade para elaboração de futuros projetos.

Dona Maria mostrando seu potencial em trançar palha.

O primeiro encontro entre os técnicos do Sebrae e os representantes do Conselho identificou as principais vocações produtivas da comunidade. O artesanato feito com matéria-prima e elementos da região foi escolhido para abrir as ações, devido ao diferencial competitivo do produto no mercado, principalmente as peças em palha do bilro e a produção de biojoias.


Registro final
Agora, em uma segunda etapa, o Sebrae no Ceará vai levar até a tribo um consultor em artesanato que irá analisar a matéria-prima local, a capacidade produtiva do grupo e definir o início das atividades de capacitação. A expectativa é abrir uma nova frente de geração de renda para a tribo, principalmente porque as peças atendem à demanda mercadológica, que exige que a identidade e cultura do lugar estejam representadas na produção.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias – Ceará (85) 3255-6609 ou 3255-6820
www.ce.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae - 0800-570-0800
Para ver a matéria original clique aqui.